Ferramentas do usuário

Ferramentas do site


dicas_mat_apoio:dicas_mat_apoio

Material de Apoio

Disponibilizamos aqui informações, não necessariamente ligadas às atividades do LabTrop, que podem ser úteis a outras pessoas. Entre elas algumas aulas ou tutoriais em construção, dicas sobre software livre, linques interessantes. Faça uso dessa página, utilize-a para tirar dúvidas e para postar artigos tb. Todos os integrantes do LabTrop podem e devem postar material de interesse aqui. Os documentos postados não tem uma versão final e todos os integrantes do LabTrop tem permissão para editá-los. Não há necessidade de postar material completo, mesmo ensaios são bem vindos. Para manter certa unidade e facilidade de navegação sugiro que ao criar um documento de um assunto novo, crie um tópico de cabeçalho nivel dois. Caso não faça parte do LabTrop e queira postar material pertinente, entre em contato através do Blogtrop.

Análise de dados em Ecologia

Linguagem R

O wiki da disciplina Introdução à linguagem R disponibiliza muitas dicas e material sobre a linguagem R. Além das aulas, há acesso a tutoriais de exercícios e apostila on-line. Nossa filosofia didática como professores é transferir ao aluno a responsabilidade do aprendizado e atuarmos como facilitadores do processo. Para tanto, buscamos dispor em wikis o material das nossas disciplinas e nesse caso específico acreditamos que os tutoriais e apostila permitam aos interessados o aprendizado básico da linguagem, sem a necessidade de cursar a disciplina. Além do wiki da disciplina há muito material disponível na internet no site oficial do projeto The Comprehensive R Archive Network

Na página Dicas R CRAN encontrará uma apanhado de dicas para usuários do R, principalmente para aqueles que optaram pelo Linux.

Linques interessantes:

Curso de Estatistica ( em Woodstock!) usando R usa dados do Darwin sobre experimento de crescimento de milho

Software de Código Aberto

Freeware

As pessoas confundem programas gratuitos com programas de código aberto. Um programa gratuito pode ser de código aberto, mas não necessariamente. A diferença não é pequena. Um freeware, como o Mozilla Firefox, Acrobat Reader e muitos outros, não precisa necessariamente disponibilizar o código da programação. Veja o caso da Adobe: criou o PDF (portable document format), um formato de arquivo para troca de documentos que de fato se tornou um padrão de troca de arquivo e largamente utilizado. Ao disponibilizar o programa para a leitura do formato, a Adobe ajudou a divulgar o formato que criou e ao mesmo tempo vender programas comerciais para criar e editar os documentos pdfs. Uma estratégia de mercado muito eficiente.

Codigo aberto

O programa ou parte de código de associado a uma linguagem computacional só é dito de código aberto (open source) quando o código de programação é liberado para os usuários. Ou seja, é possível a qualquer um olhar o código e modificá-lo caso queira. O código aberto permite a adequação de um programa para necessidades pessoais e o seu aperfeiçoamento, a partir de sua criação, de maneira indiscriminada. Existe toda uma comunidade de programadores empenhados em desenvolver e divulgar softwares de código aberto. Um bom exemplo é a Free Software Foundation criada por Richard Stallman, um programador do Instituto Tecnológico de Massachusetts (MIT) que criaou também o GNU project (Linux) e a GNU license, uma licença para copyleft, em contrapartida ao copyright.

Abaixo faço algumas considerações sobre a idéia do código aberto. São ideias ainda em construção, se sentir necessidade de comentar, entre em contato por email.

A Ciência do Código Aberto

Alexandre Adalardo 2010/08/20 15:49

BrOfice e LibreOffice

Em outubro de 2010, um grupo de pessoas ligados ao projeto “OpenOffice.org”(OOo), com receio que a Oracle, detentora dos direitos do OOo, suspendesse o projeto, como havia feito com o OpenSolaris, decidiu montar a The Documentation Fundation(TDF). O nome LibreOffice foi cunhado temporariamente e a Oracle convidada a fazer parte da fundação e dar continuidade ao projeto OpenOffice.org. A Oracle, seguindo sua lógica de mercado, recusou o convite, ao mesmo tempo que solicitou enfaticamente aos seus funcionários, associados ao OpenOffice.org, que abandonassem o projeto. No final do mesmo mês, 33 colaboradores do OpenOffice.org sairam da Oracle e se juntaram a TDF. Esse momento marca a libertação do office livre! Em janeiro de 2011, a TDF lança a versão oficial 3.3 do “LibreOffice”, uma verdadeira batalha vencida pela comunidade do software livre.

No meio dessa história, há os brasucas do BrOffice.org: uma organização para divulgar e desenvolver o OOo no Brasil. Como o “openoffice” já era uma marca licenciada no brasil, os brasucas improvisaram: criaram um logo diferente e nasceu a BrOffice! A instituição serviu de modelo e incentivo à criação da TDF, sendo uma de suas principais colaboras. O BrOffice agora não é mais OpenOffice (f..a-se Oracle!). Agora BrOffice é parte integrante e ativa do LibreOffice e da “The Documentation Fundation”, dá orgulho de ser brasuca.

Vocês que usam o Microsoft Office, muitos a partir de cópias piratas: REFLITAM! Só há duas opções honrosas: (1) sair da acomodação de um software proprietário pirata, com um pouquinho de esforço; (2) pagar a licença do software! Como ninguém quer transferir mais riqueza para a microsoft…! Faça as contas, é uma pechincha! LIBERTE-SE! Baixe o programa BrOffice no site da fundação: http://broffice.org

Ubuntu

Dicas UBUNTU ubuntu.png É mais fácil do que parece migrar para o Linux!

Por muito tempo fui resistente a migrar para o Linux, apesar de ser favorável ao software livre com código aberto. Acredito que esse movimento seja uma verdadeira revolução nas relações sociais, contrastando fortemente toda a visão capitalista e individualista de propriedade de conhecimento científico e tecnológico. Leia mais em A Ciência do Código Aberto. No linque do logo do Ubuntu há algum material sobre problemas de versões antigas, relacionadas a compatibilidade de drives. No momento não estou experimentando nenhum problema com drives para no meu VAIO VGN SZ430N e meu netbook ASUS 1015PN, todos os hardwares são reconhecidos automaticamente na distribuição do Ubuntu 10.10.

Skype

Skype x Cairo Dock Esse foi um pouco mais difícil. Geralmente não há problemas quando o webcam e o microfone já foram reconhecidos pelos sistema. No entanto, há um problema de interação do Cairo-dock com o skype que não permite que a recepção de vídeo apareça. A imagem capturada pela webcam vai aparecer no outro computador, mas no residente aparece uma tela branca…

R no UBUNTU

[[dicas_mat_apoio:programas:rdicas]] Dicas R CRAN Dicas sobre o R, como instalar e outros linques importantes

MacBuntu

dockubuntu.png O pacote macbuntu10.04 (também 10.10) fornece uma solução automática para remodelar o visual do ubuntu e torná-lo parecido com o MacOS. O logo do Mac me incomoda, por isso troquei a maçã pelo logo do Apple Tux

Dock para o Ubuntu

Dock para Ubuntu

Deixe de usar o Cairo a algum tempo. Tive problemas e encontrei uma solução que me pareceu mais interessante e menos problemática, veja o MacBuntu acima para a solução de visual completa para o seu Ubuntu.

VPN USP

Alexandre Adalardo 2011/01/07 17:29

O CCE USP disponibilizou o aplicativo VPNwiz para usuários do linux. Os tutoriais antigos não são mais necessários. Acesse a página do CCE http://www.cce.usp.br/?q=node/342 com o tutorial para instalação…rápido e indolor! Lembre-se que precisa instalar o pacote vpnc disponível pelo canonical e instalável pelo gerenciador de pacotes synaptic.

Programa de Referências Bibliográficas

dicas_mat_apoio/dicas_mat_apoio.txt · Última modificação: 2016/05/10 07:20 (edição externa)